Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Clarabóia

Clarabóia

16.05.20

Unorthodox


Raquel Patrício

Esta minissérie da Netflix, com apenas 4 episódios, baseada no livro biográfico de Deborah Feldman, conta-nos a história de uma jovem judia (Esty) que foge do seu marido e da comunidade hassídica de Williamsburg de onde vive. 

Embora a comunidade esteja localizada nos Estados Unidos da América, pareciam viver num mundo à parte. Os seus costumes, as suas tradições, as suas crenças e a mentalidade das pessoas que lá vivem, transportam-nos para uma realidade completamente distinta da nossa. Quando somos confrontados com estas situações reais, percebemos que somos uns verdadeiros priveligiados. 

Ao longo da série observamos vários exemplos de como esta comunidade vive e do papel da mulher na mesma. A mulher é apenas visto como um ser reprodutivo, cujo objetivo é gerar filhos e cuidar bem do seu marido. Não existe liberdade - não há acesso a informação, não têm internet, vivem completamente alienados do mundo. As mulheres nem sequer podem cantar em público... é visto como um gesto provocatório e profano. O momento que considerei mais caricato foi o casamento de Esty com o seu marido arranjado. Todo o "ritual" é concebido para homenagear o homem e a mulher é claramente só um acessório. Durante a maior parte da cerimónia, a noiva até está com a cabeça tapada. 

Uma série que recomendo, que nos leva a pensar e a agradecer as condições que temos, que questiona o conceito de liberdade num momento em que nos sentimos tão presos. 

Avaliação: 7,5/10

2 comentários

Comentar post