Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Clarabóia

Clarabóia

17.07.21

O ano de 1993 | José Saramago

Raquel Patrício
O ano de 1993 foi o ano em que nasci e, simultaneamente, o título de um livro de Saramago, o meu escritor favorito. É um livro mesmo muito pequeno e que não há muito a dizer sobre ele, na verdade. O livro é composto por várias histórias soltas mas que se unificam para criar uma só. É uma espécie de poesia prosaica (acho que acabei de inventar um novo conceito) em que, em alguns textos, já conseguimos perceber as ideias para livros posteriores do autor como, por exemplo, para o (...)
18.06.21

O Conto da Ilha Desconhecida | José Saramago

Raquel Patrício
Quem me conhece sabe que amo Saramago! Para mim, não há escritor mais completo. Histórias totalmente absorventes, que nos transportam para realidades únicas e surreais, e que colocam o ser humano em situações extremas, obrigando-o a lidar com questões éticas e filosóficas muito interessantes. Além da escrita que é simplesmente magnífica e muito bonita.  Este é o livro ideal para quem nunca leu Saramago e quer ter uma amostra de como será a leitura. Um pequeno conto, com (...)
26.05.21

O Vício dos Livros | Afonso Cruz

Raquel Patrício
"O Vício dos Livros", de Afonso Cruz, mal saiu fez furor por tudo o que eram redes sociais, sites literários e blogues. Para qualquer amante de literatura é, sem dúvida, um livro que não pode faltar nas prateleiras! Comecei este livro sem saber nada acerca dele. Apenas que o assunto deveria rondar os livros e a vontade incrontrolável que algumas pessoas têm em lê-los ou adquiri-los. Uma das coisas que me surpreendeu foi que o livro apresenta um conjunto de pequenas histórias, (...)
12.05.21

A Avó e a Neve Russa | João Reis

Raquel Patrício
Este livro deixou-me encantada, desde a primeira página. João Reis conseguiu construir uma história sólida e, ao mesmo tempo, tão delicada e bonita que é impossível ficar indiferente. O narrador da história é um menino de 10 anos, cuja avó se encontra gravemente doente, com cancro do pulmão. Este menino parece não ter noção da gravidade do estado da sua avó - ou prefere não pensar, sequer, na possibilidade de a poder perder. Ele e o seu irmão mais velho, Andrei, sempre (...)