Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Clarabóia

Clarabóia

29.09.21

Histórias do Desporto: Ponto Decisivo


Raquel Patrício

AAAABVvDJ95vpj6VEprWVk1LwNg3Qi1hiiRX8WjNOCMYUBMnB8

O documentário da Netflix "Histórias do Desporto: Ponto Decisivo" traz-nos muito mais do que conhecimento sobre a história do ténis americano - fala-nos sobre ansiedade, saúde mental e como podemos quebrar estigmas associados a estes temas tão sensíveis.

Apesar da origem do ténis ter sido na Europa, rapidamente se difundiu por todo o mundo. Na América, podemos considerar o ténis como um dos desportos com mais fãs. Foi aqui que nasceu o primeiro grande campeonato desta modalidade: o U.S. Open, em 1881. Este torneio, juntamente com mais três (Australian Open, Rolando Garros e Wimbledon), são considerados os quatro eventos principais do Grand Slam e são os que conferem maior pontuação e melhores prémios aos jogadores que os vençam. 

Mardy Fish é o protagonista deste documentário. Um ex-tenista que viveu toda a sua vida em torno deste desporto. Desde criança, que amava ténis. Rapidamente, foi recrutado para um dos melhores centros de treino do país com o objetivo de se tornar um campeão. Tanto ele, como todos os seus colegas. Era suposto encontrarem ali a próxima lenda do ténis americano. O melhor amigo de Mardy, Andy Roddick, era considerado o jogador prodígio e com mais potencial para alcançar este lugar. Por esse motivo, Mardy acabou por ficar sempre na sombra de Andy. Porém, a história acaba por ser escrita de outra forma, devido ao grande esforço que Mardy fez, e este acaba por se consagrar um dos dez melhores jogadores do mundo. Tudo isto parece ser o concretizar do seu sonho de vida. Até que, sem qualquer perceção do que estava a acontecer, Mardy começa a sofrer de um distúrbio de ansiedade severo. 

Foi muito interessante conhecer a história deste jogador e perceber como é que a ansiedade o afectou. A coragem necessária para deixar o seu sonho para trás com o objetivo de cuidar de si e de se curar foi imensa, uma vez que toda a América estava atenta a este caso. A ansiedade é algo que, até há bastante pouco tempo (e, infelizmente, ainda o é por muitas pessoas), é muito desvalorizada. Para quem nunca passou por isso, pode ser difícil perceber como é que do nada, alguém que se sente bem, começa a pensar que vai morrer e a sentir sintomas físicos reais, apesar de serem despoletados por algo psicológico. Taquicardias, falta de ar, dificuldade em respirar, suores frios, dormência corporal, enjoos, são apenas alguns dos sintomas que se podem manifestar. Ouvir um testemunho real de alguém que estava sob uma pressão enorme a falar do pânico e do horror que experiencou ao viver todos estes sintomas de forma inesperada, foi muito tocante. Quem já sentiu ansiedade, sabe do que falo. O pânico que se instala, a espiral de pensamentos repetitivos e negativos que passa como um filme "non stop" na nossa mente (que à luz da racionalidade são completamente absurdos) e todas as sensações físicas bem reais tornam um ataque de ansiedade verdadeiramente assustador. Acho que o Mardy Fish descreveu na perfeição o que é passar por isto. Como o próprio diz no final do documentário, sentir que estamos bem e em controlo da nossa ansiedade resume-se a isto:

A ansiedade é uma luta diária. Mas eu ganho todos os dias.

Recomendo vivamente verem este documentário. Se já passaram por algo semelhante, vão-se identificar imenso. Se, felizmente, nunca experienciaram ansiedade pode ser uma boa oportunidade para conhecerem um pouco mais sobre o tema. A saúde mental é um tema que nunca deverá ser desvalorizado. É muito importante falarmos e percebermos o que está por detrás da nossa mente. Se, por vezes, sentem que tudo o que está à vossa volta é demais, que vos está a assoberbar, falem! Falem com amigos, falem com pessoas que sabem que já passaram pelo mesmo e procurem ajuda especializada. A vossa saúde é o mais importante.

Avaliação: 7/10

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.