Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Clarabóia

Clarabóia

27.02.21

Hillbilly Elegy (2020)


Raquel Patrício

Brody-HillbillyElegy.jpg

Hillbilly Elegy, ou, se quisermos chamar pelo título português, Lamento de uma América em Ruínas, retrata-nos uma história real de um jovem (J.D. Vance) que, apesar de todas as adversidades, conseguiu singrar na vida. O filme está repleto de um elenco de luxo, com atrizes como Amy Adams e Glenn Close, duas verdadeiras rainhas da sétima arte. Amy Adams representa a mãe de J.D., ao passo de que Glenn Close faz o papel de avó. A caracterização das mesmas está tão bem feita que quase se tornam irreconhecíveis. Principalmente Amy Adams, está soberba. O filme já conta com várias nomeações valendo a Glenn Close a nomeação para Melhor Atriz Secundária nos Globos de Ouro. É bem possível que estas duas atrizes estejam nomeadas para os óscares. 

Quanto ao enredo... A personagem central do filme é J.D. - oriundo de uma família complicada, tem que lutar todos os dias para ser alguém. A sua avó fugiu da família quando tinha 13 anos, com o namorado, por estar grávida. A sua mãe, por sua vez, também engravidou cedo, tendo dois filhos. Além disso, nunca conseguiu estabilizar, tanto emocionalmente como financeiramente. Andou sempre com vários homens e tornou-se alcoólica e toxicodependente. Inicialmente, trabalhava como enfermeira mas acabou por ser despedida por roubar medicação para consumo próprio. Bev, a mãe de J.D., marcou drasticamente a infância do rapaz, um miúdo promissor, bastante inteligente. Assim, a sua avó acaba por adota-lo e criá-lo, tentando passar-lhe ensinamentos valiosos, tornando-o um homem íntegro e com valores. Já na faculdade, em Yale, a estudar direito, J.D está perante uma nova crise familiar, devido à sua mãe. Bev volta a ter uma recaída, não tem qualquer dinheiro nem nenhum lugar para ficar. 

Apesar do filme estar a ser duramente criticado, devo confessar que gostei bastante! Sim, a história é cheia de clichés e com um final previsível mas não deixa de ser uma história impactante e verídica, o que confere logo outra carga emocional a todo o enredo. Na minha opinião, é um bom filme para se ver numa tarde de fim de semana, com atuações brilhantes. Glenn Close e Amy Adams são realmente duas estrelas que merecem todo o destaque e protagonismo pelas suas atuações neste filme.

Avaliação: 7/10