Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Clarabóia

Clarabóia

01.09.21

Beartown | Fredrik Backman


Raquel Patrício

IMG_4339.jpg

Escolher um livro de Backman, para mim, é ter a certeza que irei entrar numa montanha russa de emoções - e que vou adorar! Não consigo explicar a magia que reside na escrita deste autor. Acho que é uma experiência que vale a pena ser descoberta individualmente pois a delicadeza das suas palavras tornam os seus livros em "leituras obrigatórias". Pelo menos, para mim. 

Contrariamente aos restantes livros que já conheço do autor, "Beartown" torna-se especial pela diferença com que nos apresenta as personagens. Nos livros de Backman, há sempre uma personagem chave, central, com uma história incrível e um enredo cativante. Em "Beartown", todos são especiais. No início, pode até ser confuso um livro com tantas personagens com igual destaque. Porém, com o desenrolar da narrativa, torna-se fascinante conhecer as diferentes perspetivas de cada um dos envolvidos e confere uma dimensão muito maior às suas decisões e escolhas.

"Beartown" conta-nos a história duma cidade isolada, Björnstad, perdida e esquecida no tempo, rodeada de florestas e gelo, cujos habitantes são fascinados por uma única coisa: hóquei. Pela primeira vez há vários anos, a equipa de hóquei dos juvenis tem uma oportunidade única de voltar a colocar Björnstad no mapa, pois encontram-se na meia final do torneio nacional mais importante. Prevê-se que, no ano seguinte, esta equipa - assim como o seu treinador - passem para os séniores e graças às esperadas vitórias, consigam recuperar o financiamento e a visibilidade que foram perdendo ao longo dos anos. 

Todavia, como em qualquer livro de Backman, nada é apenas aquilo que parece. Por isso, vamos acompanhando todas as personagens deste livro: a perspetiva de cada um dos jogadores da equipa júnior, desde Kevin - a estrela, até Amaat - o jovem a quem será dada uma oportunidade; o seu treinador David; o treinador da equipa sénior, Sune, que, para além de mentor de David, sabe que o querem afastar do clube para dar lugar ao treinador mais novo; o diretor geral de clube, Peter, que é, ao mesmo tempo, pai de Maya e Leo e marido de Kira, e faz malabarismos para conciliar tudo na sua vida; pais fanáticos que dedicam tanto ao hóquei como os seus próprios filhos; professores; ex-alunos; ex-jogadores até aos mais simples apoiantes. As vidas destas pessoas encontram-se ligadas pelo hóquei e, iremos perceber, como um simples evento pode destabilizar todo o equílibrio.  

Os grandes segredos transformam-nos em homens pequenos.

Como em qualquer livro de Backman, somos confrontados com um conjunto muito variado de emoções: damos gargalhadas, choramos sofregamente, sentimos empatia por personagens que nos fazem apertar o coração, ódio e perplexidade por outras... E, como em qualquer livro de Backman, estamos rodeados de passagens que nos lembram porque é tão bonito ler e que a escrita é realmente um dom. Parece fácil escrever assim, com tanta delicadeza que quase parece que as palavras saem naturalmente. Mas não há nada de fácil na escrita de Backman. Só de lindo.

O amor dos pais pelos filhos é estranho. Há um ponto em que começa o nosso amor por qualquer outra pessoa, mas não por um filho. Um filho é uma pessoa que sempre amámos, que já amávamos antes mesmo de existir. Por mais bem preparados que estejam, todas as mães e pais passam por um momento de choque total quando essa vaga de sentimentos os invade pela primeira vez e os derruba e deixa sem ar. É incompreensível porque não há nada com que o comparar. É como tentar descrever a sensação da areia entre os dedos dos pés, ou de flocos de neve na língua, a alguém que viveu a vida inteira numa sala escura. Dá asas à alma. 

Não quero contar mais nada sobre a história porque quero que quem leia, tal como eu, consiga dar "asas à alma". Que absorva toda esta magnífica história como uma tela em branco. Por isso, o meu conselho é leiam! JÁ!!!

Agora, boas notícias para quem já leu e amou o livro: 

1) Foi feita uma adaptação para série do livro. Ainda não vi mas tenho imensa curiosidade, apesar de já ter visto algumas reviews um pouco negativas. É muito ingrato tentar adaptar uma história cuja beleza é enaltecida pela escolha de palavras que a narram, na minha opinião. 

2) Este livro é apenas o primeiro de uma trilogia! O segundo chama-se "Us Against You" - já se encontra à venda, só em inglês. O terceiro, "The Winners", ainda não tem data oficial para ser lançado. Portanto, para quem ficou fã desta história, ainda teremos mais novidades a caminho!

Quem é que já se maravilhou com este livro? Ou outros de Backman?

Avaliação: 9/10

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.