Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Clarabóia

Clarabóia

13.03.21

A Persuasão Feminina | Meg Wolitzer


Raquel Patrício

IMG_2403.jpg

"Os Interessantes" é capaz de ser o livro mais conhecido de Meg Wolitzer, cuja leitura ando a adiar há algum tempo! Entretanto, decidi começar por ler outros títulos da autora, como "A Mulher" (podem consultar aqui a review) e, mais recentemente, "A Persuasão Feminina". Confesso que a história em si não me cativou particularmente...

O enredo do livro é centrado em algumas personagens principais, cujas histórias se vão desenrolando e cruzando em capítulos distintos. Primeiro, temos Greer - uma adolescente inteligente, com uma paixão antiga pelos livros, cujos pais nunca lhe prestaram grande atenção. Greer sempre se destacou na escola como uma das melhores alunas mas, por causa da incompetência e falta de atenção dos seus pais, vê o seu sonho de ir para uma faculdade de prestígio arruinado. Depois de ingressar na faculdade, conhece Zee - que irá tornar-se a sua melhor amiga - e passa por um momento traumático: um rapaz, numa festa de caloiros, mete-lhe a mão dentro da camisola, apalpando-a, sem o seu consentimento. Isto deixa Greer transtornada e é o ponto de partida pelo seu caminho no feminismo e na luta pelos direitos das mulheres. Outra personagem de destaque é Cory, o namorado de infância de Greer, que também é um excelente aluno e que acaba por ir estudar para Princeton (que seria o sonho dos dois). Assim, ao longo do livro, acompanhamos a evoluação da relação deste casal, muitas vezes à distância, e os esforços mútuos para manterem a relação a funcionar. Por fim, temos Faith Frank - uma senhora sexagenária que será o ídolo de Greer. Faith é famosa e amplamente conhecida pelo seu trabalho na área da igualdade de género. Com o passar do tempo, Greer acaba por ir trabalhar para Faith, numa nova empresa cujo objetivo é ajudar mulheres em dificuldades. 

Há pessoas que têm um efeito tão profundo em nós, mesmo que tenhamos passado muito pouco tempo com elas, que ficam gravadas dentro de nós e qualquer indício delas, qualquer menção causal, nos suscita uma agitação súbita.

O livro não tem propriamente uma história em si ou um acontecimento central a partir do qual se desenrola. Simplesmente vamos acompanhando a vida destas personagens, desde a sua adolescência até se tornarem adultos. A parte interessante do mesmo é a exploração das relações entre eles, os jogos de poder e a perspetiva de como a nossa personalidade é moldada pelos eventos e pessoas que passam na nossa vida. 

Acho que é isso que fazem sempre as pessoas que mudam a nossa vida. Dão-nos permissão para sermos a pessoa que, secretamente, ansiamos por ser, mas que se calhar sentimos que não podemos ser.

Na verdade, apesar do livro ter passagens interessantes, achei que foi bastante superficial quanto ao tema central (o feminismo) - falava sobre ele mas não o explorava. Gostava de ter visto esse aspeto mais desenvolvido. Para um livro sem história, propriamente dita, achei-o demasiado extenso e dei por mim a querer passar descrições à frente para o acabar mais rapidamente... Se calhar, eu é que não estava no timing certo para o ler! 

Quero saber a vossa opinião: já leram este livro? Gostaram? 

Avaliação: 5/10

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.