Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Clarabóia

Clarabóia

21.07.21

1Q84 - Vol I | Haruki Murakami


Raquel Patrício

IMG_1069.jpg

1Q84 foi, e continua a ser, um verdadeiro sucesso literário. No mês do lançamento do primeiro volume da trilogia, em 2009, o livro vendeu mais de 1 milhão de cópias. 1Q84 é uma trilogia do famoso escritor Haruki Murakami - um autor bastante conceituado com uma escrita peculiar, que é caracterizada pelas viagens por mundos fantasiosos para os quais somos transportados ao longo da leitura dos seus livros. 

Li recentemente "Norwegian Wood", do mesmo autor, e logo de seguida iniciei esta viagem incrível. Muitas pessoas perguntaram-me qual era a história de 1Q84 e digo-vos, é uma pergunta bastante complexa de responder. Neste primeiro volume da trilogia, vamos acompanhando a vida de duas personagens impactantes: Aomame, uma professora de artes-marciais mas que, em part-time, trabalha para uma víuva e mata homens sem escrúpulos que violentam e violam mulheres; e Tengo, um professor de matemática que aspira a ser romancista. A história acontece no ano de 1984. Porém, logo no início da narrativa, percebemos que algo de errado se passa no universo de Aomame. 

Quer goste, quer não goste, a verdade é que me encontro no ano de 1Q84. O ano de 1984, tal qual eu o conhecia, já não existe. Estamos em 1Q84. A atmosfera mudou, mudou a paisagem. Tenho que me adapta o quanto antes a este mundo-com-um-ponto-de-interrogação. Tal como acontece com os animais, quando os deixam em liberdade numa floresta desconhecida.

Por esse motivo, não conseguimos perceber se Aomame e Tengo se encontram ambos no mesmo mundo e se as suas histórias estão a decorrer em paralelo. O que sabemos é que existem muitos pontos em comum na história de ambos e estamos sempre à espera do momento em que se vão cruzar. 

Tengo é desafiado pelo seu mentor literário a reescrever a história de uma menina de 17 anos, Fuka-Eri, que enviou um conto para um concurso literário. Esta história tem algo de fascinante, apesar de estar pobremente escrita. Com o desenrolar do livro, percebemos que este conto tem bases verídicas e pode ser a chave para o misterioso passado traumático desta jovem. Também Aomame vai ter ligação a esta história, através de uma menina de 10 anos que fugiu de uma seita religiosa, conhecida como Vanguarda - local de onde Fuka-Eri também escapou. 

Este primeiro volume é uma perfeita introdução a uma história que promete ser memorável. O mais fascinante na escrita de Murakami é o prazer da leitura, desfrutar da viagem, sem nos preocuparmos muito com qual será o destino e quando lá chegaremos. Foi precisamente isto que senti nesta leitura. 

O tempo em si tem uma composição uniforme, mas, quando se consome, assume uma forma distorcida. Um período de tempo pode ser terrivelmente pesado e comprido, ao passo que outro pode revelar-se curto e ligeiro. 

Por fim, o livro tem inúmeras referências a Orwell e ao seu romance "1984". Acredito que os próximos dois volumes ainda adensaram mais os paralelismos entre estas duas histórias.

- George Orwell incluiu o ditador Big Brother, o Grande Irmão, no seu romance, 1984, como certamente sabe. O livro era uma parábola do estalinismo, claro. Desde então, o termo "Grande Irmão" transformou-se num ícone social. Foi o grande feito de Orwell. Mas, agora, no ano de 1984 autêntico, o Grande Irmão é demasiado famoso e demasiado óbvio. Se o Grande Irmão aparecesse à nossa frente, apontávamos para ele aos gritos: "Cuidado! É o Grande Irmão!" Já não há lugar para um Grande Irmão no mundo real para os nossos dias. Em vez disso, entrou em cena este alegado "Povo Pequeno". Um contraste verbal interessante, não acha?

Estou ansiosa para começar o segundo volume da trilogia!

E por aqui, muitos fãs de Murakami? Quem já se apaixonou por esta trilogia?

Avaliação: 9/10